Assinar

Antiga e rara boneca da Estrela ( Estrella ) Anos 40

Antiga e rara boneca da Estrela ( Estrella ) Anos 40

R$ 1,900.00

Descrição

Antiga e rara boneca de Estrela anos 40, ainda quando Estrela era com dois “LL”.

Roupas da época, possivelmente originais.
Altura 50 cm.

História da Estrela
Desde 1937 a Estrela está presente na memória de quem é ou foi criança, formando gerações na convivência com bonecas, carrinhos, jogos, massinha, pelúcias e outros brinquedos.

Conheça a história da empresa e confira os produtos que marcaram diversas gerações.

Fatos marcantes da história da Estrela
A nossa história começa no dia 27 de Julho de 1937, na fundação de uma modesta fábrica de bonecas de pano e carrinhos de madeira e, em poucos anos, acompanhando a evolução industrial do País, a Estrela passou a ser uma indústria automatizada e a produzir brinquedos também de plásticos, metal e outros materiais. Numa viagem no tempo é possível identificar até a própria evolução da sociedade em termos de costumes, moda, meios de transportes, tecnologia etc. Muitas crianças quiseram brincar de ser a Susi, desejaram ter um Autorama que ocupasse seu quarto ou torceram para ganhar de Natal um carro rádio-controlado como o Colossus, sucesso dos anos 80. A Estrela já produziu milhares de brinquedos diferentes e contabiliza hoje mais de bilhões de itens vendidos, entre clássicos que fizeram parte da infância de muitos brasileiros. Afinal, quem não se lembra dos possantes Maximus, Colossus, Stratus e Pégasus; Falcon , Comandos em Ação, Topo Gigio, das bonecas Mãezinha, Gui Gui e Bate Palminha ou do jogo Aquaplay? Ao longo dos anos, a Estrela construiu a força de sua marca combinando qualidade, pioneirismo e inovação na oferta de brinquedos ao mercado brasileiro. Nossa trajetória é identificada por inúmeros marcos de liderança, tendo sido, inclusive, uma das primeiras companhias brasileiras a abrir capital em 1944, construindo-se em sociedade anônima.

Confira os destaques por décadas

Anos 30
Entre as preciosidades desta mostra está uma das primeiras bonecas produzidas no Brasil, medindo 38 cm, com corpo de tecido e rosto de massa.

Anos 40
Na década de 40, a Estrela apresentou o primeiro brinquedo de madeira com movimento e som fabricado no país: o cachorro Mimoso. Logo depois, vieram outros lançamentos importantes como o jogo Pega Varetas, cuja primeira versão data do século V a.C., e o Banco Imobiliário (lançado em 1944), o mais vendido jogo de tabuleiro do mundo. É também dessa década o lançamento de massa de modelar, a Super Massa, em 1946.

Anos 50
As bonecas, que até o final dos anos 40 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir da Pupi, uma boneca articulada de poliestireno que “dormia e chorava”, lançada no início da década de 50. Pupi também ganhou uma versão Palhaço (1954), no mesmo material. Bebê que anda (1951) é um dos primeiros bebês com movimento. Lançado na década de 50, ele andava graças a uma engrenagem de ferro. Na mesma década foi lançada a Bonequinha Plastrela, feita de plastiflex, uma revolucionária matéria-prima da época. Vieram em seguida, os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês. Em 1952, começaram a ser fabricadas maquininhas de costura que costuravam de verdade. Os produtos de madeira mantinham destaque especial.

Anos 60
Nos anos 60 a linha foi ampliada com muitos lançamentos inovadores, como a primeira boneca mecânica, a Gui Gui, que ”ria” quando a criança abria e fechava seus braços. Também é dessa época a Beijoca, que “soltava beijinhos” e a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho – 90 centímetros. A Estrela introduziu, nesse período, outro conceito de grande sucesso, o de fashion doll, com a Susi (1966), uma boneca querida por diversas gerações até 1985, quando deixou de ser fabricada, com mais de 20 milhões de unidades distribuídas. A Susi voltou a ser lançada em 1997. Algumas bonecas tematizadas foram lançadas nessa década, tais como: Mary Poppins (1966), baseada na personagem principal do admirável filme de Walt Disney de mesmo nome; Miss Universo 63, uma homenagem à gaúcha Ieda Vargas, considerada a eterna miss universo brasileira; Wandeka, inspirada na cantora Wanderléia, a rainha da Jovem-Guarda e, Tremendão que fazia alusão ao cantor Erasmo Carlos. Outra inovação da Estrela foi o lançamento de brinquedos elétricos, dentre os quais é marcante o Autorama, com pistas de corrida e carrinhos para desafiar a habilidade das crianças. Este lançamento foi tão importante que virou sinônimo de categoria. Hoje está em quase todos os dicionários brasileiros.

Anos 70
Em 1970 chegou ao mercado a Flexy, uma mini boneca totalmente flexível. Pepa (1979), foi outra boneca que representou um personagem de TV (Pepita Rodrigues, em novela da Rede Globo). São dessa década muitos lançamentos de produtos queridos até hoje, tais como: Bebê Gatinhando(1970), Feijãozinho (1973), Mãezinha (1971), Amelinha (1972), Lalá e Lulu (1973), Emília (1978), Bailarina (1979), jogo Du-Elo (1974), Buggy Biruta (1972), entre outros. Houve também o ratinho Topo Gigio, um estrondoso sucesso de 1970, personagem de um programa de TV na época. A Estrela passou a trabalhar o conceito de figuras de ação nessa década. Essa categoria teve seu marco com o lançamento do Falcon (1977), o primeiro boneco da marca. No final dos anos 70, surgiram os carros rádio-controlados, que teve o Stratus (1979) como o primeiro modelo lançado.

Anos 80
Em 1980, mais um marco do ineditismo: a chegada do Genius, na época conhecido como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do país. Seguido de Merlin(1981), outro jogo eletrônico que marcou época. Ar-Tur foi um robô que virou mania no início da década de 80, com automovimento. Pégasus, de 1984, foi outro carro rádio-controlado de sucesso, seguido de Colossus (1985). Veículos interessantes também lançados na década de 80 foram: Dragão (1987), Trombada(1987), Anfíbius (1989) e Elastikon (1988). O retorno de Pedrita e Bam-Bam (1981) à coleção também marcou época (produtos originalmente lançados na década de 60). Em 1985, uma das coqueluches entre as crianças foi a boneca Quem me Quer. Snif (1986) também foi um destaque da década, era um cachorro em pelúcia. Além dele, outros destaques da época são: cãozinho Abelhudo (1982), o Snoopy (1984), a Ambulância do Dr Saratudo (1985), o jogo Boca Rica (1984) e o Elo Maluco(1981). A eletrônica foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas em modelos como a Amore a primeira boneca eletrônica do Brasil; a Bate Palminha, que cantava quando suas mãos se juntavam, e a Tchibum (1986), boneca que “nadava” de verdade. Em 1985, os cabelos de boneca passaram a ser feitos de nylon. A partir das séries televisivas de sucesso entre a criançada, mais figuras de ação foram lançadas, entre elas Comandos em Ação (1985) e outros personagens da TV como He Man (1986).

Anos 90
Entre as inovações que causaram maior frisson está a Sapequinha(1996), primeira boneca a utilizar fibra óptica e foto sensor para “perceber” a aproximação da criança. Dancin’Flor (1990) é uma flor dançante, que fez muito sucesso. A Patrulha do Focinho, de 91, uma turma de cachorrinhos que mudavam de feições foi outro marco da Estrela. As bonecas Bolachinha (1992) e Zic Zac (1991) foram também produtos consagrados pelo mercado consumidor, bem como o jogo Batata Quente (1990). Outros produtos com enorme aceitação na época foram o jogo Galinha Maluca (1991) e o robô Trony (1994).